Newey diz que morte de senna ainda o incomoda



  • ![adrian newey](http://amigosdavelocidade.uol.com.br/wp-content/uploads/2013/10/adriannewey.jpg) os acontecimentos do final de semana do gp de san marino de 1994 ainda perturbam o projetista da red bull, adrian newey. na época, ele trabalhava com a williams e por três corridas teve como piloto ayrton senna. o mago das pranchetas assume que ainda não entendeu qual a causa da falha que levou o brasileiro ao óbito na curva tamburello, na sétima volta daquela corrida disputada em 1º de maio daquele ano. o que aconteceu naquele dia, o que causou o acidente, ainda me assombra até hoje. a falha na coluna de direção foi a causa ou consequência do acidente?, disse newey em conversa com a bbc. de acordo com os promotores de justiça italianos que trabalharam no caso, uma modificação mal executada na barra de direção, conhecida popularmente como luva, causou uma rachadura na peça. o time, em sua defesa, alega que senna forçou o carro em trechos irregulares do traçado da pista de enzo e dino ferrari. tanto newey quanto o então diretor técnico, patrick head, acabaram sendo absolvidos da acusação de homicídio culposo. sem dúvida, a coluna de direção quebrou. igualmente, todas as informações, todas as câmeras do circuito, a câmera onboard do carro de michael schumacher, nada disso parece consistente com uma falha na coluna de direção, falou. inicialmente, o carro saiu de traseira quando a traseira ameaçou girar, mas ayrton entendeu isso e apenas o manteve reto. mas a primeira coisa que ocorreu foi a sobreviragem, da mesma forma que às vezes você vai observar num oval americano: o carro vai perder a traseira, o piloto vai corrigir e então ele passa reto e bate no muro externo, o que não parece uma quebra na coluna de direção, acrescentou. o fato de trabalhar com senna por tão pouco tempo deixa newey com uma ponta de tristeza e desapontamento, pois o desejo de ayrton era estar naquela equipe e nada correu como esperado. havia uma aura nele, algo difícil de descrever. ele certamente tinha uma presença. uma das coisas que me assombram é que ele entrou na williams porque construímos um bom carro nos três anos anteriores e ele queria estar na equipe que fez o melhor modelo, comentou. infelizmente, o carro de 1994 no início da temporada não era bom. ayrton tinha um talento puro e uma determinação¦ ele tentou levar o carro e fazer coisas que não era capaz. é uma pena e muito injusto que ele estivesse nessa situação. e então, é claro, no momento em que melhoramos o carro, ele não estava mais conosco, encerrou.

Entre para responder