Montadoras asiáticas são as que mais crescem no brasil



  • [![](http://www.carpointnews.com.br/wp-content/uploads/2013/09/honda-civic-exr-16.jpg "honda-civic-exr (16)")](http://www.carpointnews.com.br/wp-content/uploads/2013/09/honda-civic-exr-16.jpg) foto: divulgação / honda civic exr 2013 a indústria automobilística brasileira vem crescendo ano após ano, mas de forma igualitária. por exemplo, classificando por continente, as treze maiores marcas em volume de unidades vendidas no mercado domestico, e confrontando o período de janeiro a agosto de 2013, contra o mesmo período do ano anterior, perceberemos que as marcas europeias e norte-americanas perderam espaço, e as asiáticas cresceram substancialmente. as vendas das marcas europeias volkswagen, fiat, renault, peugeot e citroën, venderam de janeiro a agosto de 2013, 949.871 carros, contra 1.084.904 unidades, no mesmo período do ano anterior, revelando portanto, queda de 12,65 por cento. já as marcas norte-americanas gm e ford, faturaram no mercado doméstico, nos oito meses de 2013, 509.132 carros, contra 536.628 unidades do mesmo período do ano anterior, ou seja, queda de 5.09 por cento. situação muito distinta das marcas asiáticas, composta por: honda, hyundai, toyota, mitsubishi e nissan, que juntas venderam no varejo brasileiro nos oito primeiros meses de 2013, 306.334 carros contra 184.834 unidades do mesmo período do ano anterior, registrando significativo crescimento de 65.73 por cento. entre as treze maiores montadoras em volume de vendas no brasil, no período comparado acima, as três marcas que mais cresceram foram: toyota (108,7%), hyundai (100,0%) e honda (13,3%). já as que mais declinaram foram: nissan (-39,5%), peugeot (-21,5%) e volkswagen (-16,2%). exceto as três asiáticas acima demonstradas com crescimento, todas as outras dez marcas apresentaram queda de vendas no período examinado. **vendas de agosto de 2013** o mês de agosto de 2013, não foi um bom mês para a indústria automobilística brasileira, mas também não foi nenhum desastre. comparando-se com as vendas de autoveículos em setembro, houve queda de 3.8 por cento. já com o mesmo mês do ano anterior, a queda foi de 21,6 por cento. o nono mês do ano anterior, foi o que encerrou o benefício da redução do imposto sobre produtos industrializados – ipi, daí houve uma corrida as compras, registrando recorde  de vendas. já o período de setembro a agosto de 2012, registrou 3.77 milhões de autoveículos vendidos no brasil, contra 3.76 do mesmo período de 2013, portanto pode-se dizer que há um empate técnico. é cedo para afirmar, mas pelo cenário de dúvida econômica (provocada especialmente volatilidade do câmbio, queda de investimentos externos e quebra de confiança), e a pouca margem do governo para continuar renovando apoio a indústria automobilística, se o país alcançar o número de 2102, a indústria automobilística terá bons motivos para comemorar. aliás, no próprio mês de agosto de 2013, as duas únicas marcas que cresceram em vendas de automóveis e comerciais leves, comparado com o mês anterior, foram: citroën (4,61%) e peugeot (1,61%). já as marcas que caíram mais do que a média do mercado (3.8%), foram: mitsubishi (-10.64%), toyota (-8.33%), hyundai (-6.97%), renault (-6,45%), gm  (5.08%), ford (4.95%), nissan (-4.76%). finalmente, as que caíram menos do que o mercado, foram: hyundai caoa (-1.64%), fiat (-1.75%), vw (-1.88%) e honda (-1.90%). a conclusão é que as maiores marcas em volume de carros vendidos no brasil, foram as que mais caíram nos oito primeiros meses de 2013, se comparado com o mesmo período do ano anterior. exceção feita a gm que foi a única marca, entre as cinco maiores do mercado nacional em unidades vendidas, que não perdeu participação de mercado no período examinado. _***escritor, conferencista e diretor do instituto das concessionárias do brasil**_ **fonte:** www.verdesobrerodas.com.br

Entre para responder