Mosley defende liberdade técnica em troca de redução de custos



  • f1

    para o ex-presidente da fia, max mosley, os times da fórmula 1 deveriam ter liberdade de projetar seus carros como bem entendessem desde que aceitassem a adoção de um teto orçamentário.

    as equipes terão uma reunião do grupo de estratégia em maio, onde tentarão alcançar um acordo que contente tanto montadoras, que investem muito dinheiro na categoria, quanto os “garagistas”, chefes das equipes menores.

    para o antigo dirigente, o antigo plano de contenção de custos – em uma versão revisada – poderia ajudar a salvar a f1 desde que dada a liberdade técnica, os monoposto estejam dentro dos limites de segurança e tamanho.

    “eu imagino que todas as equipes passariam para o lado do teto orçamentário. elas iriam perceber que, com 100 milhões de dólares, você pode ter um ótimo automobilismo e construir carros tecnicamente avançados”, disse ao auto motor und sport.


Entre para responder