Além de rossi, veja mitos da pista em dia de dick vigarista



  • pilotos com boa reputação das principais categorias do automobilismo mundial já aprontaram para se vingar de rivais ou para vencer campeonatos

    fãs e formadores de opinião têm apontado valentino rossi como o grande vilão do gp da malásia de motogp, após o incidente com marc marquez no último fim de semana. sete vezes campeão da principal categoria do motociclismo mundial, rossi teve a sua atitude condenada, justamente por ser um piloto experiente e vencedor.

    revisitando casos do passado e do presente, encontramos histórias semelhantes, em que pilotos respeitados, campeões ou não, tiveram dias ruins e acabaram sendo criticados por atitudes antiesportivas.

    prost x senna e senna x prost

    os anos de 1989 e 1990 foram marcados por disputas que transcenderam os limites éticos no esporte e por se tratar de dois nomes pesados da história da f1, ganharam relevância que ressoa até hoje. em 1989, em suzuka, alain prost e ayrton senna brigavam pelo título na penúltima etapa do campeonato. o francês tinha 16 pontos a mais que o brasileiro, que tinha como única meta vencer. com prost na liderança, senna vinha mais rápido e tentou ultrapassá-lo. o “professor” acabou se chocando com o brasileiro. ambos tiveram seus carros danificados. enquanto prost abandonava, senna tinha a ajuda dos comissários para retornar à prova, precisando apenas trocar o bico. ele ainda ultrapassaria alessandro nannini faltando duas voltas para vencer o gp do japão. jean-marie balestre, então presidente da fia, desclassificou senna e declarou nannini como vencedor, dando a prost o título.

    no ano seguinte, o troco. logo na largada do mesmo gp do japão, foi a vez de senna interferir com um acidente na decisão do campeonato, dessa vez logo após a largada. com os dois fora, o resultado era favorável ao brasileiro, que conquistaria seu segundo título mundial de f1.

    keke rosberg, gp da europa 1985

    pai de nico rosberg e campeão da f1 em 1982, keke rosberg já viveu dias de marc marquez. no gp da europa de 1985, em brands hatch, o finlandês disputava posição com o então novato ayrton senna, quando o brasileiro fechou a porta e ocasionou a rodada de keke. sobrou ainda para nelson piquet, que vinha logo atrás e não conseguiu fugir da williams parada à sua frente. rosberg foi obrigado a ir para os boxes. na volta, ele apareceu justamente à frente de seu companheiro de equipe, nigel mansell, que conseguiu efetuar a ultrapassagem facilmente, mas como uma espécie de “vingança”, o finlandês fez de tudo para barrar a passagem de senna, irritando ao máximo o brasileiro. a corrida marcou a primeira vitória do “leão” mansell.

    motociclismo 250 cilindradas, 1998

    uma situação parecida com a polêmica entre valentino rossi e marc marquez aconteceu em 1998 na última etapa do campeonato das 250cc, na argentina. valendo o título do campeonato, loris capirossi e tetsuya harada travavam duelo emocionante que valia o título. nas últimas curvas, quando o japonês estaria ganhando o título, o italiano atacou a curva e harada, fazendo com que o piloto caísse e assim, perdesse a disputa. na ocasião, a briga era pela segunda colocação. por ironia do destino, o vencedor da corrida foi o jovem valentino rossi.

    michael schumacher, 1997

    o maior vencedor da fórmula 1 já teve dias de jogador sujo. o maior deles foi no gp da europa de 1997, em jerez. michael schumacher sofria pressão de jacques villeneuve, valendo a liderança da prova, faltando 22 voltas para o fim. quando o canadense deu o bote, o alemão não pensou duas vezes e jogou a ferrari para cima da williams, na esperança de tirá-lo da prova. a tática de schumacher não deu certo e as consequências foram pesadas. primeiro, por ter ficado na caixa de brita e ser obrigado a abandonar a corrida. segundo, por ter sido desclassificado não só da prova, mas do campeonato todo, o que fez do acontecimento uma mancha na brilhante carreira do alemão.
    o piloto também já tinha sido criticado em 1994, quando jogou o carro deliberadamente em direção à williams de damon hill, na última etapa na austrália, para evitar a ultrapassagem. com o choque, ambos abandonaram e o alemão festejava o primeiro dos sete títulos mundiais.

    dtm: o incidente do ano

    a temporada recém terminada da dtm teve momentos polêmicos envolvendo timo scheider e sua equipe, a audi. na segunda prova da etapa da áustria, vencida por mattias ekström, scheider teria recebido instruções de tirar da prova os pilotos da mercedes, robert wickens e pascal wehrlein. após a análise dos comissários, que entenderam que o toque foi proposital, scheider foi desclassificado.

    nascar: a polêmica é atual

    a maior categoria do automobilismo americano vive dias parecidos com os da motogp. as últimas duas etapas foram recheadas de finais polêmicos. no kansas, joey logano tirou matt kenseth no fim da corrida, quando os dois estavam brigando pela liderança. logano não admite que fez de maneira proposital, pois kenseth havia fechado o jovem piloto por duas vezes. o campeão da nascar de 2003 chegou a jurar logano durante a etapa de talladega após bloqueio.

    por falar em talladega, ainda repercutem as cenas finais da prova do alabama. kevin harvick, atual campeão, foi inocentado pela direção da categoria, que reviu as imagens e áudios do rádio de harvick, quanto a um suposto comportamento “dick vigarista”. como sabia que seu carro não teria bom rendimento numa relargada “normal”, harvick teria feito de tudo para provocar um acidente e assim, terminar a prova em bandeira amarela, sem que não houvesse possibilidade de ser ultrapassado por muitos carros e assim, se garantir para o próximo round do chase.

    indy: paul tracy

    paul tracy não era uma espécie de dick vigarista, mas a temporada de 1998 foi marcante para a carreira do piloto. na equipe green, durante toda o ano ele vitimou al unser jr. em cleveland, christian fittipaldi em long beach, tony kanaan em vancouver, gil de ferran no rio de janeiro e dario franchitti em houston, com direito a empurrão em barry green, dono da equipe. para completar, na última etapa em fontana, na califórnia, tracy liderava, quando rodou sozinho na última relargada da prova, que valia us$ 1 milhão. suas “atuações” lhe renderam uma suspensão para a corrida de abertura de 1999, em homestead-miami.


Entre para responder
 

});